Boa Vista Terça-feira, 02 de setembro de 2014
Ano XXXIV
Um Jornal Necessário

EDITORIAS
Cidades
Especiais
Esportes
Opinião
Polícia
Política
Variedades
COLUNAS
Área de Luta
Avivamento
Jessé Souza
Minha Rua Fala
Okiá
Parabólica
Shirley Rodrigues
Comentar   Imprimir
  Enviar por E-mail

Política                

ELEIÇÕES 2014
Candidata garante que não se corromperia se eleita senadora


Data: 01/09/2014

Foto:   J. Nobre

Josy Carvalho nunca exerceu cargo político e disputa a primeira eleição

YANA LIMA
Editoria de Política
yana@folhabv.com.br
 
Iniciante no cenário político, a candidata a senadora Josy Carvalho (PPL) garantiu que não irá se corromper caso consiga ingressar no Senado. A advogada afirmou que a motivação para a campanha foi a necessidade de nomes novos e bem intencionados no cenário político. Ela encerra a rodada de entrevistas com os candidatos ao Senado, promovida pelo programa Agenda da Semana, da Rádio Folha, 1020.

Para a candidata, não necessariamente todos os nomes novos representam uma renovação no cenário político. “Se você parar para analisar, muitos dos nomes supostamente novos são de pessoas apadrinhadas por políticos influentes”, enfatizou.

Ex-servidora da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), Josy garantiu que sabe das pressões que surgem para que novos nomes cedam à corrupção, mas garantiu que não irá sucumbir.

Questionada sobre o porquê de tentar lançar-se no meio político já para um cargo majoritário, a advogada, que antes sequer havia se filiado a algum partido político, justificou ao dizer que sua candidatura surgiu da indignação dela com a atual situação do Estado. “Eu nunca fui política e nem tinha este interesse, mas, por conta desta situação caótica, resolvi tentar representar a mudança”, disse.

Quanto aos planos para a atuação como pretensa parlamentar, ela ressaltou a posição geográfica como favorável ao desenvolvimento do Estado. A prioridade, segundo ela, seria o desenvolvimento do setor primário e secundário por meio de incentivos fiscais na tentativa de atrair novos investidores para a região. “Muitas indústrias esbarram na questão energética, mas são problemas que poderemos ir resolvendo, atraindo essas empresas para o Estado e criando um verdadeiro polo industrial aqui”, disse.

A educação também é um dos setores aos que a candidata pretende direcionar esforços, especialmente na região rural.  Novas escolas e oferta de ensino nas modalidades fundamental e médio nas regiões mais longínquas, incentivo aos professores lotados nas áreas de difícil acesso – a exemplo da região do Baixo Rio Branco – e criação de uma escola de assistência técnica e rural são alguns dos planos da candidata para o Estado.

Em âmbito local, Chico Rodrigues (PSB) é o candidato apoiado por ela, enquanto para presidente, ela segue a coligação da sigla, que apoiava Eduardo Campos e agora apoia Marina Silva (PSB). Apesar disso, ela se disse contrária à ideologia da presidenciável, que estuda modificar o Código Florestal para reduzir de 50% para 20% a área cultivável em cada propriedade.

Durante a entrevista, conduzida pelo economista Getúlio Cruz, foram levantados alguns temas relevantes que estão em discussão, para os quais foi questionado qual seria o entendimento da candidata enquanto possível senadora.

ABORTO – Ela se posicionou contra o aborto por questões religiosas. No entanto, segundo ela, de nada adianta proibir a realização de aborto se não houver políticas públicas voltadas para a prevenção da gravidez, especialmente para o público adolescente.

MAIORIDADE PENAL – A candidata é a favor, com restrição. Segundo ela, a simples redução da maioridade penal não resolve o problema da criminalidade. Ela pontuou que muitos dos que cometem crimes nesta faixa etária são usuários de drogas, o que chama a atenção para a necessidade de programas de recuperação e ressocialização. Ela defende ainda que o público de 16 a 18 anos tenha dosagens de penalidade.

DROGAS
– Josy se mostrou contra a regularização maconha porque, segundo ela, a população brasileira não está preparada. “Se isso for jogado aleatoriamente, traria muitos danos para a sociedade”, disse.

INDÍGENA – Quanto à demarcação de terras indígenas, ela tanto é contra a demarcação de novas áreas como também discorda da forma como as atuais foram homologadas. “Nós precisamos de terra para desenvolver o Estado. Os índios já têm terra suficiente”, opinou.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA – A candidata defende ainda a criação de centros de assistência às mulheres vítimas de violência física e, sobretudo, a psicológica, que, segundo ela, é subestimada pela maioria da população.
 

 

.: Leia Mais :.
01/09/2014
01/09/2014
01/09/2014
01/09/2014
30/08/2014
30/08/2014
30/08/2014
30/08/2014
29/08/2014
29/08/2014
29/08/2014
29/08/2014
29/08/2014
28/08/2014
28/08/2014


.: COMENTÁRIOS :.


Nome:   
1146-Lucio Pereira                          Data: 08:45:17 - 01/09/2014
Só até se eleger!!!! Piada de mau gosto!!!

.: Publicidades :.






Assinatura Voltar à Página Principal Denúncias Classifolha Fale Conosco Voltar à Página Principal
Copyrigth © 2014 - Folha de Boa Vista - Todos os Direitos Reservados
Voltar à Página Principal Classificados Denúncia Expediente Assinatura Voltar à Página Principal